Cozinha sem mistério na quarentena

Publicado em: 29/04/2020

Fonte: Revista Trip, por Nathália Zaccaro

Foto: Revista Trip

A cozinha é um universo cheio de tecnologias. São várias as técnicas, processos, métodos, instrumentos e informações necessárias para dominar a gestão dessa parte crucial da casa. Trocamos uma ideia com algumas figuras que dominam como poucos os mistérios das panelas para clarear a vida de quem está se aventurando mais intensamente durante a quarentena.

Janaína Rueda, a chef por trás do Bar da Dona Onça, indicou as farinhas como suas principais aliadas no fogão para tempos instáveis como os que estamos vivendo. Ela, os dois filhos e o marido, o também chef Jeferson Rueda, estão isolados em um apartamento no centro de São Paulo. Para Palmirinha, personalidade sagrada do imaginário gastronômico do país, os ovos são fundamentais. Benny Novak, dos premiados Ici Bistrô e Tappo Trattoria, tem quatro filhos confinados para alimentar e não faz janta que não vire um bom almoço no dia seguinte. Rodrigo Oliveira, que assina as receitas do concorrido Mocotó, congela suas frutas e as transforma em diferentes preparos, como bolos e vitaminas. Tome nota!

Janaína Rueda

“Tenha sempre farinhas. Farinha de tudo que você imaginar. A de milho vira polenta, a de mandioca fica ótima com qualquer guizado. Com elas, você pode fazer os mexidinhos. Coloca ali carne, cebola, tomatinho, farinha e pimenta e já fica super bom. E as farinhas duram muitos meses, é bom só mexer de vez em quando. Gengibre também tenho sempre e ele aumenta a imunidade. Pimenta é bom ter também, além de tudo, ativa a circulação.”

Benny Novak

“Tenho preparado coisas que vão durar na geladeira, que passem bem de um dia para o outro. Preciso diminuir o meu trabalho em casa porque, se não, vira uma loucura com quatro filhos e sem ajuda. Eu estou cozinhando como nunca aqui. Molho de tomate, eu faço para quatro dias e deixo congelado. Se eu penso em fazer uma bolonhesa, já separo um pouco da carne moída para servir com arroz e salada no dia seguinte. É só juntar com uma azeitona, molho inglês, colocar um ovo frito, e tá pronto. O lombo assado de um dia pode virar sanduíche frio com mostarda e repolho no outro. Sempre faço muito sunomono também. Dura pra sempre na geladeira, é ótimo.”

Rodrigo Oliveira

“Moro com a minha esposa e nossos dois filhotes pequenos, mas a maior parte do tempo estão aqui também minhas filhas do primeiro casamento. É uma casa bem animada, cinco crianças e dois cachorros. Os almoços são eventos. Na divisão das tarefas da casa, eu fiquei com a cozinha. Abastecer, cozinhar, lavar a louça, tudo. É questão de sobrevivência alinhar uma logística. Tenho duas principais preocupações: zero desperdício e diversidade. Tentamos comer o máximo de itens frescos possível, mas, se não estiver fácil conseguir frutas frescas, pense nas congeladas. Elas têm valor nutricional praticamente inalterado. E se vejo uma fruta super madura em casa, corto em cubinhos e congelo. Praticamente todos os dias faço vitaminas, sucos e doces com elas. Outra dica é fazer seu kefir. Aqui tomamos todo dia praticamente, é muito fácil de fazer e super saudável. Você só precisa de uma isca, que pode conseguir on-line. E vai super bem com as frutas congeladas.”

Palmirinha

“Infelizmente, não estou podendo ir até o supermercado porque faço parte do grupo de risco, né, amiguinhos? Mas o que eu tenho feito antes de pedir alguma coisa de lá é olhar tudo o que tenho e o que pode ser feito nos próximos dias. Depois eu penso em ingredientes que têm maior durabilidade. Por exemplo, no lugar do pão francês no café da manhã, tenho preferido uma tapioca. Sou fã de comida caseira, então, tem um alimento que nunca falta aqui em casa. Sabe qual é? O ovo. Ele é bom cozido, frito, mexido. Fazer uma salada de ovo cozido com batata fica daqui, ó! Outra coisa: um bolinho de chuva de tarde conforta o coração de qualquer um!”

Curta a nossa Fanpage
Newsletter

Assine a nossa Newsletter