MITOS E DICAS PARA SE INVESTIR EM PREVIDÊNCIA PRIVADA

Publicado em: 09/02/2018

Dinheiro

Em tempos de Selic (taxa básica de juros da economia) em 6,75% ao ano, o menor juro da história do Brasil, alguns investimentos clássicos são colocados a prova, entre eles a Poupança, pois com uma rentabilidade em 70% da Selic, mais a Taxa Referencial (TR) que atualmente está zerada, a caderneta está rendendo 4,73% ao ano.

Frente a taxas tão baixas, quais as aplicações que podem ser mais seguras e garantir ao poupador uma tranquilidade a longo prazo?

Uma das melhores alternativas é a Previdência Privada, se seu objetivo for poupar mensalmente um pouquinho e ter em mente um futuro seguro para esse investimento.

Porém é um tema novo aos ouvidos de grande maioria dos brasileiros, cercado de mitos, e por isso buscamos nesse artigo dar algumas dicas para quem está em dúvida em investir nesse ativo.

DICAS

  1. Procure saber as taxas do fundo que deseja aplicar, corra das taxas altas. Os bancos e planos de previdência abertos, normalmente cobram taxas de entrada, administração, saída e carregamento. Já os fundos de previdência privada fechados, são quase na sua totalidade opções muito melhores para esse ativo.
  2. Procure informações sobre a gestão do fundo e uma vez decidido por ele, faça o acompanhamento mensal desse investimento.
  3. Uma vez contratado o plano, não tente comparar com investimentos diferentes. Para se certificar de que a rentabilidade do fundo está adequada, compare investimentos de renda fixa, variáveis, multimercado e inflação com investimentos da mesma categoria.
  4. Os fundos de previdência privada não têm resgate compulsório do imposto devido (imposto semestral que incide nos demais fundos de renda fixa e de multimercado). Este detalhe faz toda a diferença para investimentos de longo prazo.
  5. Na escolha de seu plano, veja as condições para resgatar parte ou até mesmo a totalidade do dinheiro, sim, isso é possível.

MITOS

  1. Que custa caro ter previdência privada, “mito”, compare as taxas e verá que são competitivas.
  2. Que os aportes mensais são altos, “mito”, você decide a forma e quanto vai aplicar.
  3. Que precisa ter muito dinheiro para começar, “mito”, existem planos a partir de R$ 100,00.
  4. Que para retirar o dinheiro precisa estar aposentado, “mito”, você pode resgatar parte ou até a totalidade dos fundos, conforme o plano contratado.
  5. Que é muito arriscado investir em um fundo de previdência privada fechado por não ter garantia do Fundo Garantidor de Crédito, “mito”, vale lembrar que a Superintendência Nacional de Previdência Complementar (PREVIC), uma autarquia vinculada ao Ministério da Previdência Social, é quem fiscaliza as atividades das entidades fechadas de previdência complementar (fundos de pensão).

Resumidamente vale a pena pensar em previdência privada, principalmente se seu objetivo for aplicar parte de seus recursos para resgates a médio ou longo prazos.

Texto: www.consiglieri.com.br  por Marcelo de Amoêdo que é consultor de empresas e de investimentos, associado a Consiglieri Europe Revisori e Consulenti Integrato.

Curta a nossa Fanpage
Newsletter

Assine a nossa Newsletter