Sabotando seus planos financeiros em três, dois, um…

Publicado em: 06/09/2016

Sabotando seus planos

Repito sempre em minhas palestras e cursos a importância de termos um orçamento pessoal / familiar, principalmente em momentos de crise, onde a busca por informações sobre as melhores aplicações, prazos, rentabilidade e riscos, são fundamentais para alcançarmos nossos objetivos financeiros.
E muitas pessoas – talvez a maioria – passa por dificuldades em tirar seu planejamento do papel e ir para a prática, quando o assunto é gestão de seu próprio dinheiro.
Fiquei surpreso quando conversando com um amigo, este me confidenciou que havia tirado e acompanhado seu último extrato bancário quando era funcionário do Banco Central do Brasil, pois ele já está aposentado a quase 10 anos! Esta pessoa possui um curriculum invejável, é sócio de uma empresa renomada de consultores e auditores contábeis, professor universitário na área de finanças e palestrante.
Isso prova que um comportamento financeiro inadequado não é mérito dos simples mortais, independente de seus ganhos ou conhecimentos financeiros: muitos se auto sabotam financeiramente.
Não saber qual é sua renda mensal ou familiar e não acompanhar onde gasta seu dinheiro, abre espaços para crenças e barreiras que impedirão a sua prosperidade financeira.
É preciso assumir uma nova postura com relação ao dinheiro e para isso evite três passos que com certeza irão detonar seus planos financeiros. Veja se algum deles se reflete no seu comportamento:
01 – ADEUS PREGUIÇA: O primeiro passo é a disciplina de controlar seus gastos diariamente e lançá-los em uma planilha ou caderninho. Hoje isso é fácil de fazer, visto que mais de 80% das transações se dão por conta de cartões de debito ou crédito. Basta juntar na carteira ou bolsa as segundas vias e depois anotar.
02 – SE ELE PODE, EU TAMBÉM POSSO: Ter objetivos claros a curto, médio e longo prazo são fundamentais para seu crescimento financeiro. Não basta anotar seus ganhos e gastos, precisa analisar onde estão os gastos. Alguns deles são recorrentes para a manutenção de seu estilo de vida, como alimentação, moradia, taxas, impostos, porém outros são planejados e devem ser lançados como investimentos. Estamos falando da casa própria, do carro novo, moto, barco, viagens e uma aposentadoria tranquila. O fator comum para o atingimento destes objetivos é o “tempo“. Se muitos alcançaram seus desejos, você também pode alcança-los fazendo o dever de casa corretamente.
03 – NÃO SEJA LADRÃO DE SEU PRÓPRIO DINHEIRO: Analise friamente cada gasto a ser feito, revise seu planejamento de curto prazo. Será que esta marca ou modelo mais caro me fará mais feliz? Eu realmente preciso disto? Se esperar mais um pouco não conseguirei comprar em promoção? Se guardar mais dinheiro, será que não conseguirei negociar um desconto maior pagando à vista? A ideia não é proibir-se de comprar, mas sim comprar com discernimento, pois o fator recompensa é inerente ao ser humano e de suma importância para uma vida financeira vencedora. Não existe sentido em apenas acumular dinheiro sem um propósito que nos dê satisfação e tranquilidade.
Então vamos lá! Comece agora mesmo a ter uma vida financeira próspera, saia do piloto automático e parta para ação com disciplina, objetivos claros, motivação e controle (vigilância). A somatória destes fatores não terá outro resultado que não seja o saldo positivo na sua vida financeira.

Texto: Marcelo de Amoêdo[1]

[1] Marcelo de Amoêdo é consultor de empresas e de investimentos, associado a Consiglieri Europe Revisori e Consulenti Integrato.

Curta a nossa Fanpage
Newsletter

Assine a nossa Newsletter