Seis dicas para planejar a vida financeira depois do Carnaval

Publicado em: 26/02/2020

Muitos brasileiros têm a sensação de que o ano só começa depois do Carnaval. Passada a folia e os gastos tradicionais com IPTU, IPVA, material escolar e férias de verão, vem a preocupação com o planejamento financeiro para o ano que parece, finalmente, começar. De acordo com uma pesquisa divulgada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), guardar dinheiro é a principal meta financeira dos brasileiros em 2020 (49%). Ainda segundo o levantamento, 30% dos entrevistados têm como meta fazer uma viagem e 27% pretendem quitar dívidas e “sair do vermelho”.

 

Metas – A gerente de Desenvolvimento de Negócios da Central Sicredi PR/SP/RJ, Adriana Zandoná França, explica que para a realização das metas é importante organizar o orçamento. “Existem várias opções de investimentos para diferentes perfis. O mais importante é colocar em prática o planejamento financeiro e lembrar que nunca é tarde para começar”, comenta. E se o ano só começa mesmo depois do carnaval, confira seis dicas para planejar a vida financeira em 2020:

 

1- Descubra quanto ganha e quanto gasta

 

O primeiro passo para uma vida financeira mais saudável é descobrir o valor total da renda e identificar os gastos. As informações podem ser colocadas em uma planilha simples. “Com esses dados é possível identificar e cortar o supérfluo e ainda estimar e se preparar para gastos mais sazonais como datas comemorativas, aniversários, pagamento de impostos. Ao elaborar o orçamento, também é importante levar em consideração imprevistos que podem ocorrer ao longo do ano”, explica Adriana.

 

2- Economize primeiro e só depois gaste

 

Seis em cada 10 brasileiros compram por impulso. A informação, divulgada em 2018, por uma pesquisa do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), aponta que uma parte considerável dos gastos é feita com compras desnecessárias. “É importante refletir sobre a necessidade de cada compra separando um valor para os objetivos que podem ser de curto, médio ou longo prazo. As compras, especialmente de menor valor, devem ser feitas à vista evitando parcelamento para aquisição de produtos supérfluos”, analisa a especialista.

 

3- Invista no hábito de poupar

 

Para conseguir realizar compras à vista, é preciso economizar e a poupança é uma aliada. Vale separar um valor mensal fixo, como 10% da renda, para reserva financeira. O poupador se beneficia com os juros compostos, juros sobre juros e, ao utilizar o dinheiro para uma aquisição, consegue melhores condições com o pagamento à vista. “Quem tem menos disciplina ou ainda não adquiriu o hábito de guardar recursos pode fazer uso de serviços como a Poupança Programada. Nesse caso, é feita uma reserva automática em data específica, normalmente no recebimento do salário, garantindo a reserva de dinheiro”, explica Adriana.

 

4- Oferta: pense duas vezes

 

Fuja da tentação das ofertas. Ao se deparar com uma promoção, é importante refletir sobre as reais vantagens do valor apresentado e a necessidade do produto. Muitas vezes as ofertas resultam em compras por impulso e gastos desnecessários.

 

5- Procure investimentos adequados ao seu perfil

 

É possível escolher diferentes opções de investimentos com produtos que atendem os perfis mais arrojados e os mais conservadores, que buscam menor rentabilidade e maior segurança. “Os fundos de renda fixa são sugeridos ao poupador mais conservador.

 

6- Educação financeira nunca é demais

 

É importante investir no conhecimento para buscar as melhores maneiras para administrar e investir o dinheiro. Vale procurar publicações que são referência sobre o tema e promover conceitos de educação financeira desde a infância.

 

Fonte: Sicredi, com adaptações

Foto: Freepik

Curta a nossa Fanpage
Newsletter

Assine a nossa Newsletter